sexta-feira, 30 de março de 2012

O Luto diante da perda de um animal de estimação

          É comum que donos de animais sejam incompreendidos por algumas pessoas quando vivenciam o luto pela perda de seu bicho de estimação. Imagine, se vivemos em uma cultura que reprime a expressão do luto por morte de uma pessoa da família, este processo é ainda mais menosprezado quando se trata de animais de estimação. É comum que digam “ Era só um animal”, você está chorando por causa de um cão? Gato, pássaro?
Os psicólogos reconhecem que o luto experimentado pelos proprietários de animais, é o mesmo experimentado após a morte de uma pessoa.
A morte de um animal de estimação significa a perda de uma fonte de amor incondicional.
Se você é dono de um cão, por exemplo, diga se você nunca foi surpreendido por uma lambida, ou não foi recebido primeiramente por seu bichinho antes de qualquer outro membro da família?
          Após a morte do bichinho normalmente vem os sentimentos de tristeza, impotência, raiva e até mesmo culpa.
Surgem dúvidas: “Porque agora?”. “Eu cuidava tão bem dele”.
Sentimentos de culpa: “Porque não procurei outro veterinário?” “E se eu tivesse percebido antes que ele estava doente?”
Sentimentos de raiva: “Porque não procurei outra opinião, outro veterinário?” “Aquele remédio não adiantou de nada, não deveria ter seguido aquela orientação”.
A tristeza que parece não ter fim... Os pertences trazem lembranças: um brinquedo que ele gostava, a vasilha da comida, um paninho ainda com o cheiro dele, que de certa forma também são um alívio para o coração.
      Diante disso, procure compreender as reações de seu amigo, seu familiar, seu colega de trabalho que vivência o luto pela perda de um bichinho de estimação. Mesmo que para você pareça absurdo, permita que essa pessoa expresse seus sentimentos. Certamente essa será a melhor maneira de demonstrar sua amizade, consideração e respeito.

 ”Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante.” – Albert Schwweitzer (Nobel da Paz – 1952).
 ”
Texto escrito por Patrícia dos Santos – Psicóloga CRP -12/10686 – Formação em Tanatologia pela Rede Nacional de Tanatologia.






quarta-feira, 28 de março de 2012

Grupo de Apoio a Famílias Enlutadas Boa Vida

            O Serviço Social do Boa Vida, completará em maio 5 anos de atuação. Um dos objetivos para este ano é criar o Grupo de Apoio a Famílias Enlutadas, no qual já está em processo final de construção. Este grupo tem como ponto principal possibilitar espaço saudável de troca e reflexão sobre a vivência do luto e será direcionado aos associados Boa Vida que passaram por perdas de entes queridos. 
As colaboradoras do Serviço Social Tássia e Patrícia realizaram pesquisas, estudos e fizeram Curso de Formação em Tanatologia afim de aprimorar o conhecimento sobre a questão do luto.
Através do relato de alguns associados e da pesquisa realizada em ONGs, instituições, universidades foi constatado que em Blumenau, não existe nenhum grupo que atende pessoas enlutadas.
             O trabalho em grupo leva os participantes a constatarem que não são os  únicos com uma determinada problemática; ele possibilita o contato de pessoas com conflitos e dificuldades semelhantes e proporciona a troca de experiências entre os membros do grupo. O trabalho em grupo envolve pessoas diferentes, com suas histórias de vida, que se reúnem com um objetivo, e que possuem necessidades semelhantes.

Esta é uma das novas propostas de inovação para 2012 do Serviço Social Boa Vida.

“Acreditamos que é através da junção das profissões de Assistente Social e Psicóloga que iremos contribuir ainda mais, no processo de luto em que a família". Tássia e Patrícia.


Você associado que tem interesse em participar do Grupo fale com o Serviço Social do Boa Vida através do telefone 3222 9999 ou através do e-mail: servicosocial@boavida.com.br.



Resumo escrito por Tássia Hostin - Coordenadora do Serviço Social Boa Vida - Assistente Social CRESS 4237 - Graduanda em Gerontologia – Formação em Tanatologia pela Rede Nacional de Tanatologia.








segunda-feira, 5 de março de 2012

Pedágio da Casa de Apoio: Associação de Pais e Portadores de Mielomeningocele e Neoplasia



               Alguns colaboradores do Boa vida participaram do Pedágio da Casa de Apoio: Associação de Pais e Portadores de Mielomeningocele e Neoplasia.
O Pedágio ocorreu no último sábado dia 03 de março das 8h as 12h nas principais sinaleiras de Blumenau.
O Serviço Social do Boa Vida também participou do pedágio através das colaboradoras Patrícia e Tássia.
              Cerca de 450 voluntários estavam envolvidos nesta ação.
Segundo a Casa de Apoio, o valor aproximado da arrecadação foi de R$ 29.000,00 (mas ainda será confirmado pelo banco). 


A todas as pessoas que fizeram a sua parte desde doar algum valor e doar o “suor” como voluntário o nosso 

“ Muito Obrigado(a)”!



Resumo escrito por Tássia Hostin - Coordenadora do Serviço Social Boa Vida - Assistente Social CRESS 4237 - Graduanda em Gerontologia – Formação em Tanatologia pela Rede Nacional de Tanatologia.



Os colaboradores Mirella e Ewerson segurando a faixa:



As colaboradoras Tânia e Bia abordando os motoristas:



A colaboradora Sandra separando as moedas e as notas em dinheiro: