quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Workshop - Cuidados Paliativos, Comunicação em Situações de Crise e Luto no Contexto Hospitalar e Clínico

             No dia 27 de setembro, Patrícia - Psicóloga e Tássia - Assistente Social do Boa Vida, participaram de um workshop no Hospital Santa Catarina sobre "Cuidados Paliativos, Comunicação em Situações de Crise e Luto no Contexto Hospitalar e Clínico".
O objetivo principal do encontro foi qualificar os profissionais da área da saúde, que trabalham direta ou indiretamente com cuidados paliativos, lutos e perdas, através da ampliação do seu manejo nessas situações, seja em ambiente clínico, hospitalar ou domiciliar através dos conhecimentos dessas áreas e da utilização de formas mais eficazes de comunicação.
        As palestrantes foram Claudiane Aparecida Guimarães (Graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (2007). Cursa Doutorado sob orientação da Dra. Marilda Emmanuel Novaes Lipp e Greici M. Bussoletto (Graduação em Psicologia pela Universidade do Alto Vale do Itajaí (2005), possui especialização em Psicologia Hospitalar e da Saúde e Mestrado pela PUC de Campinas (2011)).
O encontro contou com uma rica troca de experiências e informações entre as palestrantes e os ouvintes que enriqueceram a noite com uma visão multiprofissional.
Em suma, tratou-se de elucidar o que Cicely Saunders nos traz de conhecimentos sobre os cuidados paliativos e o alívio do sofrimento humano. Cicely Saunders conseguiu entender o problema do atendimento que era oferecido em hospitais para pacientes terminais. Até hoje, famílias e pacientes ouvem de médicos e profissionais de saúde a frase “não há mais nada a fazer”. A médica inglesa sempre refutava: “ainda há muito a fazer”.
O alívio do sofrimento, a compaixão pelo doente e seus familiares, o controle impecável dos sintomas e da dor, os sintomas de natureza física, social, emocional e espiritual, a busca pela autonomia e pela manutenção de uma vida ativa enquanto ela durar: esses são alguns dos princípios dos Cuidados Paliativos que, finalmente, começam a ser reconhecidos em todas as esferas da sociedade brasileira. Fonte: http://www.paliativo.org.br/
           Outro tema abordado foi a comunicação em situações de crise e luto, que trouxe como foco que para entendermos o outro temos que ir além das palavras.
Outro assunto abordado, que ainda hoje é tabu em nossa sociedade foi a morte e suas representações históricas, ou seja, a morte que ocorria em casa, em meio a família, passa a ser terceirizada, ocorrendo atualmente em maior número nos hospitais.
Baseados na literatura de Kluber Ross, tratou-se das fases do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Na literatura de Worden tratou-se das tarefas do luto: aceitar a realidade da perda, elaborar a dor da perda, ajustar-se ao ambiente onde está faltando a pessoa que faleceu e por fim reposicionar em termos emocionais a pessoa que faleceu e continuar a vida.
           Contudo, as palestrantes relataram as suas experiências profissionais e fizeram uma dinâmica na qual passaram uma parte de um  filme e dividiram a turma em 4 grupos. Cada grupo recebeu uma pergunta e as perguntas deveriam ser respondidas pelo grupo.
Foi uma noite de grande aprendizado, expressão de emoções e uma oportunidade de ampliar o network profissional.


Na fotos os participantes e a Dra.Claudiane:





Colaborou Patrícia dos Santos - Psicóloga CRP - 12/10686 - Serviço Social Boa Vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário