sexta-feira, 18 de julho de 2014

Competências no atendimento ao cliente !

Trabalhar com pessoas que perderam seu ente querido requer primeiramente identificação com o tema da morte. E na verdade tanto o atendente de funerária, ou nós do Serviço Social que atendemos ocorrências de falecimento não lidamos com a morte em si, lidamos com a vida dos familiares que aqui ficaram. 

Temos como objetivo prestar uma assistência funerária de qualidade, com transparência, ética e compromisso com o cliente.

Uma prova de que lidamos com a vida das pessoas é começar pelo nome do Boa Vida que refere-se a levar uma boa vida. O objetivo principal do plano é realizar atendimento humanizado as famílias enlutadas.

Parece simples, mas o profissional que atende a família enlutada deve ter algumas competências importantes como: agilidade para orientar as famílias onde deve ir, paciência para repetir 2 ou 3 vezes se for necessário, sensibilidade para oferecer um copo de água, um lencinho de papel, equilíbrio emocional para compreender que algumas reações da família como a  raiva, a hostilidade são reações referente a dor da perda e não de caráter pessoal com quem está atendendo naquele momento.

Numa família onde todos querem falar ao mesmo tempo, querem ajudar e acabam se perdendo no meio de tantas informações, o profissional qualificado tomará as “rédeas” para controlar a situação e muitas vezes designará o caminho que a família deverá seguir, respeitando sempre a vontade da família.

Se colocar no lugar do outro e entender o que ele está sentindo, é importante para que o profissional cuide do bom atendimento e reflita: como eu gostaria de ser atendido caso eu fosse o cliente?

Augusto Cury que é escritor, psicoterapeuta, médico e psiquiatra relata que "a capacidade de se colocar no lugar do outro, é uma das funções mais importantes da inteligência. Demonstra o grau de maturidade do ser humano..."








Escrito por Tássia Hostin - Coordenadora do Serviço Social.
Referência: http://pensador.uol.com.br/textos_de_augusto_cury/3/

Um comentário:

  1. Realmente precisa gostar de trabalhar neste meio porque são vidas, histórias tristes na maioria e precisa ter muito profissionalismo para não absorver as dores dos familiares (clientes). Aprendi muito com o setor e parabenizo-as pelo excelente trabalho, além do auxílio aos colaboradores que estão sempre disponíveis a dar. PARABÉNS MENINAS!!!

    ResponderExcluir