quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

OS 5 MAIORES ARREPENDIMENTO ANTES DE MORRER


E se você for morrer amanhã, de que se arrepende?

Baseada nessa pergunta, a enfermeira australiana Brownie Ware que cuidava de pacientes terminais, lançou-se a pesquisar com seus pacientes quais eram os maiores arrependimentos destes em suas últimas semanas de vida e os publicou em um livro intitulado, The Top Five Regrets of the Dying (Os cinco maiores arrependimentos antes de morrer).


Os temas mais citados foram:

1.Gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim. As pessoas geralmente fazem pelos outros coisas que elas acreditam que é importante para os outros, mas a maior parte das vezes o outro não pediu isso. Aí querem um acerto de contas no final, e isso é tão sério que pode criar realmente um acerto de contas no final. Quando se deixa de fazer alguma coisa que é importante para você para fazer algo que é importante para outra pessoa, esse tempo não volta mais. Em função de agradar o outro, a maior parte das pessoas entrevistadas deixou de realizar mais da metade dos seus sonhos para agradar as outras pessoas. “A saúde traz uma liberdade que poucos percebem que possuem, até que a perdem”.

2. Gostaria de não ter trabalhado tanto. As pessoas que tiveram um trabalho que as enriqueceram, transformaram, que fizeram suas vidas melhores, do ponto de vista material ou como ser humano, essa cobrança raramente acontece, mas se o trabalho traduziu-se como peso, o arrependimento veio. Bronnie conta que esse desejo era comum a todos os homens que ela atendeu. Eles falam sobre sentir falta de ver as crianças crescendo ou da companhia de sua esposa. Isso não quer dizer que as mulheres não apresentem a mesma queixa – mas como a maior parte das pacientes da enfermeira são de uma geração mais antiga, nem todas precisavam trabalhar para sustentar a família.

3. Gostaria de ter tido a coragem de expressar meus sentimentos . Essa é talvez a coisa mais bonita que acontece no fim da vida: Perde-se a capacidade de fingir sentimentos. “E se eu tivesse feito o que eu amava”? Por mais terrível que seja a pessoa, no fim da vida ela começa a manifestar o que tem de bom por dentro, e esse bom que ela tem por dentro é demonstrar afeto. De acordo com a enfermeira, alguns de seus pacientes até desenvolveram doenças por carregar esse rancor e esse ressentimento e nunca falar sobre o assunto.

4. Gostaria de ter mantido contato com meus amigos mais antigos. As relações que as pessoas pesquisadas tinham com seus amigos, na maioria eram mais honestas e verdadeiras do que as que tinham com a própria família. Afirmaram ter grande vontade de estar com os amigos nos momentos finais da vida, por saberem quão especiais eram esses momentos finais. “Todos sentem falta dos amigos quando estão morrendo”, afirma Bronnie.

5. Gostaria de ter sido mais feliz. Esse arrependimento é um resumo de todos os outros e surpreendentemente comum. Muitos só perceberam que a felicidade é uma escolha no final da vida. Hábitos, zona de conforto faz com que as pessoas fiquem engessadas, pois o medo da mudança é tão grande que faz as pessoas fingirem a vida toda para si e ao próximo que estavam contentes e satisfeitas, quando queriam aproveitar a vida de outra forma."O prazer é breve, o sofrimento é pequeno. O arrependimento é eterno e a glória não tem fim"(Francisco de Assis).

Se durante a leitura desse texto, despertaram aí alguns assuntos não resolvidos ou arquivados, termine a leitura, vá lá o quanto antes e faça o melhor que puder.





Referências:

Os cinco maiores arrependimentos antes de morrer. Disponível em: http://www.administradores.com.br/mobile/artigos/carreira/os-cinco-maiores-arrependimentos-antes-de-morrer/87077/. Postado por Sandro Rafael em 11 de maio de 2015. Acesso em: 07/01/2016.

Os 5 arrependimentos mais comuns à beira da morte: Disponível em:



Colaborou Patrícia dos Santos - Psicóloga CRP 12/10686
E-mail: patricia.santos@boavida.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário